sábado, 14 de maio de 2011

"Eu Mato" (Giorgio Faletti): OPINIÃO

Quando li a sinopse de "Eu mato" do autor Giorgio Faletti fiquei logo curiosa. Além da sinopse, este livro tem uma capa e um título extremamente apelativos.

Fiquei logo com a sensação de que seria mais um livro a comprar e com a Feira do Livro do Porto quase aí à porta pensei cá para mim "espero pela Feira do Livro e compro este livro lá".

Só que um belo dia enquanto andava pela Bibliofeira vi este livro com um preço absolutamente extraordinário (8€ e o livro nas livrarias custa 19,90€!!!) e disse cá para mim "nem na Feira do Livro consegues este livro tão barato" e, como tal, não resisti e comprei-o na Bibliofeira.

O livro chegou impecável, mesmo novo e foi a minha 1ª leitura de Maio. Numa semana tinha lido o livro que tem quase 550 páginas.

"Eu mato" é a frase enigmática de um ouvinte que liga para a Rádio de Monte Carlo. Fala com o locutor Jean-Loup Verdier e este homem diz coisas que ninguém entende, terminando a sua chamada dizendo "eu mato" e colocando uma música.

Com o avançar da leitura vamos deparar-nos com o primeiro duplo homicídio macabro de um casal.

Ao juntarmos as peças vamos perceber que a música deixada na chamada para a Rádio de Monte Carlo é uma forma de dar pistas para quem será a próxima vítima e "eu mato" é a frase do serial killer que os investigadores querem apanhar e prender o mais rapidamente possível.

Afinal, o Mónaco sempre foi um destino paradisíaco para muitos turistas e, como é óbvio, a família do Principado do Mónaco e os investigadores não estão satisfeitos com um serial killer à solta.

Com uma sucessão de crimes horríveis, onde o assassino mata pessoas públicas conhecidas e lhes tira a pele da face de forma cirúrgica, deixando atrás de si um cenário horrendo de sangue, vamos avançando na leitura com crescente curiosidade.

Para além de ter sentido muita curiosidade para saber quem era o assassino, fiquei expectante para perceber porque este retirava a face às suas vítimas.

Quando lemos excertos que são a voz directa do criminoso começamos a perceber um pouco porque faz isto às suas vítimas e entendemos que estamos perante uma mente altamente perturbada. No entanto, só com o final do livro é que percebemos inteiramente o passado deste assassino e o que lhe aconteceu na sua história para desenvolver este comportamento. A história por detrás deste comportamento é também ela uma história intricada e cheia de acontecimentos surpreendentes.

Aliado a isto temos o agente de FBI - Frank Ottobre - que se vê nesta investigação apesar de estar de licença temporária, por motivos pessoais.

Também Frank é uma personagem complexa com um passado complicado, o que apimenta ainda mais a leitura deste livro.

Temos também Nicolas Hulot - comissário e grande amigo de Ottobre que com ele investiga este caso.

Desenvolvi um carinho pela personagem de Hulot e pela sua esposa, pela relação e história que têm. Hulot vai ser determinante para a descoberta de pistas e resolução do caso. Mas também com esta personagem vamos ter surpresas!

"Eu mato" está repleto de personagens complexas com personalidades que se entrecruzam...algumas deles chocando entre si.

Ao aproximarmo-nos do final do livro vamos descobrir quem é o assassino e o porquê do seu modus operandi e, eu posso dizer, que fiquei estupefacta com a identidade do criminoso.

Foi a estreia de Giorgio Faletti e posso dizer-vos que, na minha opinião, é uma bela estreia. Com uma série de acontecimentos marcantes e uma rede complexa de personagens e histórias interligadas, este foi para mim, um livro que prendeu a minha atenção. Recomendo.

CLASSIFICAÇÃO: 5. Muito Bom!

18 comentários:

Ruteee disse...

Ainda bem que gostas-te.
Andei a enamorar este livro durante algumas idas á livraria, e depois desta opinião tive que ir lá hoje comprá-lo.
Espero que a minha opinião seja a mesma.
Beijinho*

Diana Barbosa disse...

Ruteee depois de leres o livro diz por cá o que achaste :)
Beijinho

Ruteee disse...

Claro, neste momento estou a ler: A rainha no palácio das correntes de ar, é pena ser o último já que estava previsto para 10...
Mas depois dou a minha opinião ;)
Boas leituras*

Diana Barbosa disse...

AMEI a trilogia Millenium de Stieg Larsson! É simplesmente maravilhosa!!!!!!!!!!!!!!!

Ruteee disse...

Até agora também digo o mesmo :)

Ruteee disse...

Qual da trilogia Millennium achas-te mais interessante?

Diana Barbosa disse...

Isso é difícil de dizer Ruteee porque são os 3 maravilhosos mas acho que o 1º e o 3º me marcara mais

Ruteee disse...

Dos 2 primeiros prefiro o 1º, agora estou á espera de acabar o 3º :)

P.s.- Penso que te terei respondido pelo computador do meu pai, mas como aquilo estava lento pensei que não tivesse enviado :)

Diana Barbosa disse...

o 3º é muitooooooooooo bom :D:D:D

Ruteee disse...

Acredito, eu estou quase no meio do livro :)

Ruteee disse...

Acabei agora de ler o último da trilogia.
A minha opinião é a mesma que a tua, o 1º e o 3º livro tornaram-se mais tentadores. :D

Diana Barbosa disse...

E agora deve-te acontecer o que me aconteceu a mim: vais ter saudades de personagens como Lisbeth e Mikael :)

Ruteee disse...

Pois, umas personagens tão 'fortes' como eles nunca se esquecem (:

Diana Barbosa disse...

Mas entretanto têm saído outros policiais também muito bons :) não nos falta o que ler :D

Ruteee disse...

Exacto, na minha estante já moram mais dois policiais por ler :)

Diana Barbosa disse...

Que 2 policiais são? Sou tão curiosa :D

Ruteee disse...

Não és a única.
Tenho o "Eu mato" que em príncipio começo a ler hoje e "Conspiração Mortal" de J. D. Robb ;)

Diana Barbosa disse...

então boas leituras :D