quinta-feira, 28 de novembro de 2013

Fundação MAPFRE e Objectiva lançam colecção pioneira da História Contemporânea de Portugal + Passatempo


Inúmeros leitores apaixonados pela leitura são também entusiastas curiosos sobre História e eis que surge uma colecção que fará certamente as delícias de muitos leitores: Colecção "História Contemporânea de Portugal” que tem como promotora a Fundação MAPFRE!

- E o que é a Fundação MAPFRE?
  • É uma instituição sem fins lucrativos que nasceu em 1975, pelo Grupo MAPFRE, o maior grupo segurador espanhol.

- E qual é o seu objectivo principal?
  • Contribuir para o bem-estar da sociedade e das pessoas.

- E actua em que áreas?
  • Na Prevenção, Saúde e Meio Ambiente; Ação Social; Segurança Rodoviária; Ciências do Seguro e Cultura.

- E em Portugal como actua?
  • Actua  desde 2006, através do Instituto de Prevenção, Saúde e Meio Ambiente e do Instituto de Segurança Rodoviária.

- E a “Coleção História Contemporânea de Portugal” consistem em quê?
  • Consiste em dois volumes sobre O COLAPSO DO IMPÉRIO E A REVOLUÇÃO LIBERAL “ (1808-1834) e "A CONSTRUÇÃO NACIONAL" (1834-1890 )

VOLUME I
O COLAPSO DO IMPÉRIO E A REVOLUÇÃO LIBERAL
1808-1834

COORDENAÇÃO DE:
JORGE M. PEDREIRA E NUNO GONÇALO MONTEIRO

AUTORIA DE:
JORGE M. PEDREIRA, MIGUEL FIGUEIRA DE FARIA E NUNO GONÇALO MONTEIRO

Alguns dos temas abordados:
  • as invasões francesas;
  • a partida da família real para o Rio de Janeiro;
  • o colapso do antigo regime colonial;
  • o primeiro pronunciamento liberal;
  • a independência do Brasil;

A ponderação de diversos pontos de vista permite aqui sublinhar os traços mais relevantes e característicos da revolução liberal em Portugal.

VOLUME II
A CONSTRUÇÃO NACIONAL
1834-1890

COORDENAÇÃO DE:
PEDRO TAVARES DE ALMEIDA

AUTORIA DE:
JORGE M. PEDREIRA, MIGUEL BANDEIRA JERÓNIMO, PAULO SILVEIRA E SOUSA, PEDRO TAVARES DE ALMEIDA E RUI BRANCO

Entre 1834 e 1890, Portugal passou por profundas mudanças, com a construção de um Estado-nação moderno e o ressurgimento do projeto imperial africano. O triunfo dos liberais na guerra civil, em 1834, assinala a instauração definitiva do regime monárquico constitucional. Até meio do século, viveu-se, porém, um tempo convulsivo, dominado pela instabilidade e violência políticas. A nova fase que então se abriu, de início designada por «Regeneração», teve como características a negociação e o compromisso, associados a uma dinâmica de modernização socioeconómica, em que o investimento público nas infraestruturas deveria desempenhar um papel fundamental. Este impulso modernizador, que começa a dar sinais de erosão na viragem para a década de 1890, embora tenha introduzido grandes transformações, não permitiu vencer alguns dos pesados atrasos estruturais e culturais do país nem alterar a sua posição periférica no contexto europeu, o que promoveu a disseminação na opinião pública de um forte sentimento de frustração, que a deceção do projeto colonial veio ampliar.

Haverá um passatempo na página de Facebook da Fundação MAPFRE, onde poderão ganhar a coleção História Contemporânea de Portugal e 1 Pack Pousadas de Portugal (fim de semana em zonas históricas de Portugal – castelos).

Participem no passatempo aqui! (em caso de mensagem de erro ao tentar participar pela primeira vez, clicar em F5 para actualizar a página e conseguirão "Jogar")

Para mais informações: 

https://www.facebook.com/fundacaomapfre


1 comentário:

helena frontini disse...

Eu participei, mas esta história de ter de contar com os votos dos amigos é que não dá!