sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

"O Grande Gatsby" (F. Scott Fitzgerald) (Desafio Clássicos 2013 - Fevereiro): OPINIÃO!

Ler clássicos da literatura tem-se revelado um verdadeiro desafio e, como tal, "O Grande Gatsby" não foi excepção.

O autor F. Scott Fitzgerald faz-nos recuar no tempo e envolve-nos num cenário pós I Guerra Mundial onde através da personagem principal Jay Gatsby vamos assistir à vontade de ascensão económica, à valorização das posses materiais e à mudança dos valores morais.

Jay Gatsby é-nos apresentado pela voz do seu vizinho Tom que mediante a relação que estabelece com Gatsby e a avaliação pessoal que faz das circunstâncias que se vão desenrolando nos dá uma perspectiva muito interessante desta personagem que empresta o seu nome a este clássico.

"O Grande Gatsby" afigura-se-nos como uma leitura que nos retrata a sociedade americana depois da I Guerra Mundial, ao mesmo tempo que nos conduz por uma história de amor.

Depois de ter estado ausente a servir o país, Gatsby regressa e no seu pensamento traz Daisy, o seu amor da juventude. Contudo, este regresso mostrará a Gatsby uma Daisy casada com um homem de posses económicas.

Envolto neste amor ainda existente e palpitante, Gatsby tenta ostentar e mostrar a sua recente riqueza, sendo que o autor F. Scott Fitzgerald leva-nos por uma narrativa imbuída de glamour, festas, convívios sociais. Rodeado por inúmeras pessoas nas festas que realiza, Gatsby aparece-nos como uma pessoa misteriosa e solitária.

Todos se questionam sobre Gatsby e sobre a fonte da sua riqueza. Simultaneamente, este amor de Gatsby por Daisy pincela a leitura com revelações, surpresas e dinâmicas muito próprias. 

Será possível reatar este amor do passado apesar das circunstâncias actuais serem muito particulares e diferentes?

A narrativa de "O Grande Gatsby" é profunda por nos oferecer o retrato de uma sociedade em mudança onde é visível a prosperidade, mas também o aumento do materialismo e a degradação dos valores morais.

A escrita do autor F. Scott Fitzgerald requer atenção, não só pelas temáticas abordadas, mas sobretudo pela sua seriedade e formalismo.

A acção tem o seu ritmo próprio e vai-se desenrolando gradualmente com avanços e surpresas.

A dinâmica que se estabelece entre os vários grupos de personagens é indubitavelmente rica e marcante, sendo que o desfecho de "O Grande Gatsby" provocou em mim uma reacção muito particular, pois esta leitura mesmo depois de ser concluída deixa no leitor um conjunto de reflexões que têm de ser feitas à medida que se vai assimilando o pleno alcance deste livro.

CLASSIFICAÇÃO: 4. Bom!


2 comentários:

André Nuno disse...

Diana,
gostei da tua opinião. Penso que é bastante elucidativa no que à obra diz respeito. Concordo contigo quanto à exigência na leitura dos clássicos. Muitas vezes sinto-me recompensado por poder aliar um gosto grande na sua leitura com a satisfação de estar a ler História da literatura, no que de melhor se lhe reconhece. Outras vezes porém fico dividido porque reconheço valor e qualidade a esses clássicos mas não sentindo grande prazer na sua leitura. :)
Boas leituras!

Catarina R. disse...

Este livro faz parte das minhas leituras de Março..ver se leio antes de sair o filme:) Obrigado pela review